segunda-feira, 14 de março de 2011

Educação sentimental


Acho que o colégio não me ensinou como educar os meus sentimentos, inútil colégio!
Tudo começa com uma lágrima sendo derramada nesse papel e borrando a palavra felicidade que não mais existe. Eu namorava com ele já a algum tempo e descobri que ele havia me traído, não dava para perdoá-lo de forma alguma, a traição foi horrível! Mas aconteceu exatamente ao contrário, eu o perdoei após as suas singelas e convincentes palavras. Eu sabia que se ele não continuasse em minha vida eu não sorriria mais, mas ele continuando, aquele brilho resplandeceria sempre em minha face. Após algum tempo descobri uma nova traição, agora realmente não dava mais! Tanto amor dedicado a uma pessoa que não se satisfazia com aquilo que eu o proporcionava, me cansei literalmente, terminamos definitivamente. E a parte do sorriso? Ah! Como eu disse, não sabia mais o que era sorrir, não tinha motivos para sorrir e não conseguia controlar o intenso e incontrolável amor que sentia por ele.
Passei a ir no colégio dele todos os dias após as aulas, queria vê-lo ao menos, quem sabe assim aliviaria tamanha solidão? Olhar para aquele sorriso metálico, aquela face meiga e aqueles lindos lábios que não me pertenciam mais era ruim e bom demais ao mesmo tempo, ruim porque sentia saudades e tinha certeza que nada daquilo me pertencia mais, pertencia a outra, aliás, as outras, e bom porque eu me sentia menos sozinha, lembrava dos bons momentos que juntos vivemos. Pra ele isso não fazia a mínima diferença, na verdade, EU não fazia a mínima diferença pra ele. As minhas noites eu passava pensando nele, os meus dias, todo o tempo que Deus estava me dando para tentar viver eu passava pensando nele. Será o que ele pensa? Será que ele acha que eu fui feita de ferro? Será que ele acha que eu não tenho sentimentos? Ou que eu tenho e eles não tem valor algum? É difícil saber o que um verme pensa, então não vou esforçar a minha mente, apesar de machucar o meu coração todos dias, coisa que é bem pior.
Passaram-se sete meses e eu na mesma solidão, é incrível como eu não conseguia esquecer e conseguia amar um cara que namorou comigo e com outra ao mesmo tempo. Sim, ele não merece mulher nenhuma, ou mulher nenhuma merece ele, tanto faz! Foi mais ou menos a partir desse momento, dessas minhas palavras que percebi que eu não sou capaz de educar os meus sentimentos, mas sou capaz de amar alguém melhor. Basta apenas um pouquinho de esforço e tudo vai se sair bem, eu tenho uma vida e passei boa parte do tempo esquecida disso, já que agora eu me lembrei, acho que devo valorizá-la e "doá-la" pra quem merece de verdade.
Passado alguns meses após essa minha decisão, eu comecei a namorar com um rapaz, que pelo visto me amava, me valorizava, me elogiava, não me traía, me adulava até. Resolvi então, passar pelo colégio do verme de mãos dadas com o meu atual namorado, eu estava crescendo na vida e ele estava D-I-M-I-N-U-I-N-D-O! Não via mais aquelas inúmeras garotas em volta dele, nem mesmo os meninos queriam conversar com ele. Quando ele me viu passando de mãos dadas com o meu atual, eu notei uma reação de quem não conseguia acreditar no que vira, mas a minha educação foi bem maior que a dele, Fiz questão de apresentá-lo ao verme.
Quando foi a noite, o meu celular tocou, não reconheci o número, mas atendi:
- Alô.
- Querida, eu sei que você ainda me ama, quero te pedir perdão, não fique com ele, volte pra mim!
Eu reconheci a voz. Ele: O VERME!
- Parece que quem me ama aqui é você, ainda tem o meu número salvo, isso significa algo. Mas dessa vez você errou, eu não te amo mais e as suas palavras doces não me convencem de forma alguma! Se era só isso, eu tenho que desligar o telefone, estou super ocupada! Ok?
- Não, não faça isso! Eu te amo!

CHAMADA ENCERRADA E UMA LONGA VIDA PARA VIVER ...

p.s. Se você me encontrar em qualquer lugar irá me encontrar sorrindo, garanto-lhe.

2 comentários:

  1. 20 de março.
    FELIZ DIA DO BLOGUEIRO *-*'
    Pra você, pra mim. Ah pra todos nós.
    Beijão.

    ResponderExcluir